Macaé News
Cotação
RSS

Pescadores realizam ação ambiental no período do defeso

Publicado em 24/03/2017 Editoria: Meio Ambiente sem comentários Comente! Imprimir


A iniciativa permanece durante o defeso do camarão, que acontece entre 1º de março e 31 de maio

A iniciativa permanece durante o defeso do camarão, que acontece entre 1º de março e 31 de maio

Pescadores inscritos para a frente de trabalho no período do Defeso do Camarão de 2017 (Edital 001/2017) participaram da limpeza da praia da Barra, na manhã desta sexta-feira (24). A iniciativa permanece durante o defeso do camarão, que acontece entre 1º de março e 31 de maio, período de reprodução da espécie. Durante essa fase, os pescadores que não podem exercer suas atividades profissionais, atuam nas frentes de trabalho e recebem um salário mínimo nacional. O trabalho desta sexta-feira contou com o apoio da Secretaria Adjunta de Serviços Públicos.

O vice-prefeito e secretário de Desenvolvimento Econômico Trabalho e Renda, Vandré Guimarães, esteve presente na praia da Barra e ressaltou a importância da questão ambiental. "A frente de trabalho é muito mais do que uma questão legal do defeso, é a compensação ambiental. Todas as semanas, durante este período, estaremos realizando diversas ações com a preocupação de preservar o ambiente em que vivemos" pontuou.

Pescador há 30 anos, Adelson de Souza destacou a importância da lei que não desampara os pescadores no período do defeso, porém, também chamou atenção à questão do lixo. "Todos deveríamos fazer a nossa parte. Lugar de lixo é no lixo. O trabalho de limpeza é importante, mas, se a população não fizer a sua parte, não teremos mais praia, nem peixes para pescar, muito menos planeta para viver", disse.

De acordo com Secretário Adjunto de Pesca e Aguicultura, Clóvis de Queiroz Lima, Macaé tem, em média, 500 pescadores inscritos na Frente de Trabalho.

"As frentes de trabalho tem duração idêntica ao período do defeso, três meses, e representam a contrapartida dos pescadores pelo recebimento do salário mínimo mensal", esclarece.

O cronograma da frente de trabalho é o seguinte: dia 27 de março, às 9h -Limpeza de Patrimônio Ambiental (Pontal); 30 e 31 de março, às 14h -  Palestra, no Auditório do Paço Municipal, sobre "Risco da Pesca em Área de Plataforma";  7 de abril, às 7h  - Limpeza de Patrimônio Ambiental, na Ilha do Francês; 13 de abril, às 14h  - Palestra, na Associação dos Moradores da Barra, sobre  Primeiros Socorros; dia 20 de abril, às 9h - Limpeza de Patrimônio Ambiental, no Canal Macaé/Campos, palestra sobre Educação Ambiental e ações de combate ao Aedes aegypiti; 28 de abril - Curso (Carteira POP); 5 de maio, às 9h - Limpeza de patrimônio ambiental, no Pontal; 12 de maio, às 9h - Realização de Exames no Mercado de Peixes sobre (Saúde do Pescador); 19 de maio, às 9h, Limpeza de Patrimônio ambiental, no Canal Macaé / Campos; dia 26 de maio, às 9h - Limpeza de patrimônio ambiental, na Praia da Barra.

Defeso do camarão -  O período de defeso impede a pesca do camarão no mar da Região dos Lagos e no Norte Fluminense, entre 1º de março e 31 de maio. Pescadores de Cabo Frio, Arraial do Cabo, Búzios, Saquarema, Macaé, do litoral de Campos dos Goytacazes e São João da Barra são afetados pela medida, já que esse é o período de reprodução dos crustáceos.

Nos três meses, fica proibida a pesca de arrasto com tração motorizada para a captura do camarão-rosa, camarão-sete-barbas, camarão-branco, santana ou vermelho e barba-ruça. De acordo com a Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj), o pico do período de reprodução do camarão varia de um ano para outro, de acordo com a variações climáticas, de correntes e ventos.

As punições incluem advertência, multa e apreensão do produto, além de suspensão parcial ou total das atividades.

› FONTE: SECOM


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: