Macaé News
Cotação
RSS

Curso intensifica a formação de contadores de história em Macaé

Publicado em 23/03/2017 Editoria: Cultura sem comentários Comente! Imprimir


Contar e cantar histórias não é tarefa fácil, mas em Macaé, a arte está sendo intensificada com curso de formação para contadores, que segue até o mês de julho, no Centro de Formação Carolina Garcia, que funciona na sede do Colégio Municipal Professora Maria Isabel Damasceno Simão, no Centro.  A programação, iniciada nesta quinta-feira (23) - semana em que se comemora o Dia Internacional do Contador de Histórias
- conta com a participação de professores e auxiliares de serviços escolares. O objetivo é reforçar a atuação dos profissionais da educação, incentivar  e valorizar a leitura de contos, fábulas e crônicas.

Além do curso, a rede municipal conta com o grupo HistoriArte que é reconhecido na rede municipal por seguir um cronograma nas escolas municipais ao levar a magia da leitura para os estudantes. O grupo, que vai completar 22 anos no mês de agosto, segue uma agenda de visitas.

Nesta sexta-feira (24), os contadores estarão nas escolas municipais: Nossa Senhora da Conceição e  Arléa Carvalho José. Na segunda-feira, será na Escola Municipal Cândida Maria da Silva Vieira. Na terça-feira (28), na Escola Áttila de Aguiar Maltez Júnior e, na quinta-feira (30), na Escola Eda Moreira Daflon. A previsão é que, a partir do próximo mês, a garotada seja atendida no Centro de Artes e Esportes Unificados (Ceu), nas Malvinas, e ainda com o Programa Forças no Esporte, junto ao Forte Marechal Hermes. Nestes projetos, serão oferecidas oficinas de Gêneros Literários.

A  magia da contação de histórias também é levada para os estudantes no ônibus Biblioteca sobre Rodas. A biblioteca itinerante, dotada de cerca de mil títulos, percorre escolas e outros espaços como praças, asilos, eventos ligados à prefeitura e instituições diversas.

Curso destaca contador macaense

O curso "Arte de contar e cantar histórias" apresenta questões teóricas e práticas, tais como desenvolvimento de técnicas, memorização, além de preparação do repertório e da narração para apresentação de histórias  diante de públicos diversos. Na oportunidade são enfocados escritores como Bia Bedran, Monteiro Lobato e Alberto Figueiredo Pimentel, escritor, jornalista e cronista macaense conhecido como o criador dos contos da Carochinha e primeiro brasileiro responsável por traduzir contos europeus e popularizá-los.

Empolgada com a formação, a  auxiliar de serviços escolares que atua na Escola Municipal Ancorim, Cássia Nogueira afirma que não pensou duas vezes para se inscrever no curso. Formada em Serviço Social ela recomenda o curso. "A programação é voltada para profissionais de todas as áreas. Gosto muito de histórias e sei que o curso vai contribuir com a atuação na escola. Quero conhecer novas técnicas para me tornar oficialmente uma contadora", disse.

De acordo com o secretário de Educação, Guto Garcia, a leitura e contação de histórias são ferramentas valiosas no processo de ensino. "Vamos continuar com este trabalho junto a alunos de todos os segmentos", destaca.

Para a contadora  e professora do curso, Fabiana Salgado, o módulo foi preparado para valorizar a literatura e provocar encantamento nos alunos. Os participantes também terão acesso a aprendizagem de diferentes  formas de contação de histórias, utilização de música e sons nas narrativas, ritmos e sons", lembra.

Programa de Leitura segue com novos trabalhos

O trabalho dos contadores de histórias não para por aí. Serão iniciados a partir do mês de abril, os encontros ‘Onde um rio de gente se encontra com um mar de histórias’ que vai enfatizar o tema “Este mar não está para peixes e sim para histórias”. As apresentações serão no Centro Cultural Rinha das Artes.Para a programação, a Superintendência de  Educação Integrada aceita doação de livros infantis e infanto-juvenis para o ônibus ‘Biblioteca sobre Rodas’. Eles podem ser entregues na sede da Secretaria de Educação, rua Antero Perligero, 402, sala 219, no Centro de Macaé.

"Contamos histórias para despertar nas pessoas para a importância da leitura. Mas não aquela sistematizada e, sim, como enriquecimento cultural que provoque reflexão e cidadania e que também seja prazerosa por oferecer um mundo novo e com grande possibilidade de vida", diz a coordenadora e contadora de histórias, Giselle Souza.

O grupo de contadores Historiarte, as apresentações e a ‘Biblioteca sobre Rodas’ integram as ações da Coordenação de Referência à Leitura da Secretaria de Educação. Em 2016, foram atendidos por essas ações 21.438 alunos, em sua maioria estudantes da Educação Infantil e do primeiro segmento do Ensino Fundamental.

› FONTE: SECOM


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: