Macaé News
Cotação
RSS

Usuários podem suspender alguns serviços durante ausência do imóvel

Publicado em 07/03/2014 Editoria: Economia sem comentários Comente! Imprimir


Para o morador Sidney Carvalho cabe a cada consumidor avaliar os benefícios da suspensão dos serviços

Para o morador Sidney Carvalho cabe a cada consumidor avaliar os benefícios da suspensão dos serviços

Quem se ausenta do imóvel por um longo período, pode pedir a sus­pensão de alguns serviços. Em Rio das Ostras e região, como há uma grande quanti­dade de imóveis de veraneio o pedido pode ser favorável. A medida atinge a telefonia fixa, móvel, serviço de comu­nicação de mídia banda larga e TV por assinatura. Nesses não há cobrança de taxas, quando a suspensão chega até a 120 dias. A intenção com estas possibilidades é fazer com que o consumidor possa economizar. No caso da energia elétrica, ele pode ser até solicitado, mas há ne­cessidade do pagamento de algumas taxas.

No entanto, as regras não valem apenas para quem fica tanto tempo fora de casa, bas­ta que esse período seja igual ou superior a 30 dias. No caso dos serviços de telecomunica­ções, as normas estão na car­tilha “Principais Direitos dos Usuários e Obrigações das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações”, divulga­da pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

De acordo com a coorde­nadora executiva do Procon de Rio das Ostras, Luciana Oliveira, esse pedido de sus­pensão, no caso dos serviços de telecomunicação, pode ser feito apenas uma vez ao ano. Ela mesma já solicitou o cancelamento por 60 dias da TV por assinatura por moti­vo de viagem. “É uma práti­ca bem tranquila e foi feita prontamente pela operadora do serviço”.

Para negociar os cance­lamentos destes serviços é necessário entrar em contato com o Serviço de Atendimen­to ao Consumidor (SAC) de cada fornecedor.

Mas, quem for ficar mui­to tempo fora e quiser pedir a suspensão da energia elétrica também pode. Se­gundo informou a Ampla, o desligamento programa­do, como é chamado este serviço, tem o custo de R$ 70, e o religamento mais R$ 70. Por causa disso, depen­dendo do tempo, pode não compensar para o consumi­dor, já que quando está au­sente de casa, pagaria ape­nas os tributos que chegam próximo de R$ 40.

O coordenador executi­vo de atendimento do Pro­con, Alexandre Machado alertou que, se o consumi­dor quiser suspender outros serviços como, por exemplo, assinatura de revistas, jor­nais e academias é necessá­rio verificar o que o contrato está prevendo. “Geralmen­te, no caso das academias, os proprietários têm nego­ciado com os seus alunos”, disse o coordenador exe­cutivo de atendimento do Procon.

Eles desconheciam as medidas

O jornal RJNEWS foi às ruas perguntar se as pessoas sabem da medida. E muitos desconheciam esta pos­sibilidade que pode gerar economia, principalmente, no início do ano quando in­cidem os gastos com IPTU, IPVA, entre outros.

É o caso do morador de Rio das Ostras Sidney Carvalho. “Cabe a cada um analisar o beneficio desse serviço, mas eu desconhecia esta possibi­lidade. Sei que com a ener­gia elétrica não é vantagem devido às taxas”, disse.

Quem também não sabia do benefício, é o morador Carlos André. “Nunca tinha ouvido falar algo parecido. Para ele, nenhum serviço prestado deveria cobrar a taxa para a suspensão do mesmo, pois, deveria ser uma opção do consumidor”, disse ao reclamar sobre o excesso de taxas impostas por alguns fornecedores.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário