Macaé News
Cotação
RSS

Guarda Ambiental combate incêndio na Vila Badejo

Publicado em 21/04/2016 Editoria: Meio Ambiente sem comentários Comente! Imprimir


Em caso de incêndios a população deve ligar para o telefone (22) 99701-9770.

Em caso de incêndios a população deve ligar para o telefone (22) 99701-9770.

Em época de seca aumenta o número de incêndios florestais e em campos de vegetação rasteira. Isso porque o tempo facilita o surgimento dos focos de incêndio. Somente neste mês, a Guarda Ambiental registrou cerca de 80 atendimentos de combate a incêndio, uma média de quatro ocorrências por dia, mais que o dobro dos registros em períodos chuvosos.
 
Neta semana, sete agentes da Guarda Ambiental combateram um incêndio na manhã de terça-feira (19), em uma área de 300 metros quadrados que acabou atingindo a restinga no bairro Vila Badejo. A guarda foi acionada por meio de denúncia anônima e utilizou técnica de abafamento e bomba postal para controlar os focos de incêndio.

Segundo informações do Subsecretário de Ordem Publica, Edilson Santana, os indícios são de que o incêndio, neste caso, tenha sido criminoso. “É provável que o incêndio tenha sido causado por queima de lixo, já que a área é utilizada irregularmente para descarte de resíduos”, comenta.

Outro caso foi na Região Serrana, onde a Guarda Ambiental foi acionada para atuar junto com o Corpo de Bombeiros em uma área de mata no alto de um morro.

De acordo com o Subcomandante da Guarda Ambiental, Vilmar Ribeiro, as principais causas de incêndio neste período são criminosas. “A maioria das ocorrências são de focos causados por descarte irregular de objetos. Quando aquecidos pelo sol, eles podem pegar fogo e causar um incêndio, como vidro, espelhos, latas e outros. Queima de lixo e cigarro também causam incêndio”, comenta.

Vilmar ainda alerta que provocar incêndio em mata ou floresta é crime ambiental previsto na Lei Federal 9.605, com pena - reclusão, de dois a quatro anos, e multa.

A Guarda Ambiental atende, 24 horas, todos os dias. Em caso de incêndios a população deve ligar para o telefone (22) 99701-9770.

› FONTE: Ascom


sem comentários

Deixe o seu comentário