Macaé News
Cotação
RSS

Delegacia da Criança e Adolescente capacita policiais

Publicado em 29/08/2015 Editoria: Segurança sem comentários Comente! Imprimir


A Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV) vai promover regularmente capacitações para policiais civis no projeto Fazendo a Diferença. Os cursos, que serão realizados uma vez por mês, tem o objetivo de preparar membros da corporação para entrevistar crianças e jovens vítimas de violência sexual. Iniciada este mês, a qualificação, realizada em parceria com a Academia de Polícia Sylvio Terra (Acadepol), já formou 16 policiais. Segundo a delegada da DCAV, Cristiana Onorato, a ideia é ter em cada delegacia do estado policias civis treinados para ouvir as vítimas de abusos.

- A DCAV já ouve crianças vítimas de abuso, mas a intenção da Polícia Civil é que em cada delegacia tenha policiais preparados para a oitiva das vítimas. Na nossa realidade prática observamos que a criança tem muitas dificuldades para falar, porque se sente envergonhada, culpada pelo ocorrido ou tem medo. Queremos, na medida do possível, que ela se sinta segura para falar sobre o que aconteceu. A ocorrência pode ser feita em nossa delegacia ou em qualquer unidade mais próxima de casa, por isso a necessidade de termos policiais capacitados em todas as delegacias - explicou Cristina.

Além do depoimento da criança vítima, são ouvidos o comunicante do abuso e o autor do suposto crime. O curso também ensina os participantes a reconhecerem situações em que o abuso não ocorreu.

- Aprendemos uma série de técnicas e nos preparamos para ficarmos alertas para não trabalharmos com papéis pré-determinados de autor e vítima. É preciso olhar o contexto em que a situação acontece. Nossa função é buscar a materialidade dos fatos e a autoria do crime. É importante observar não só a suposta vítima, mas também aquele que comunica o fato e suas reações emocionais. Há casos em que a denúncia pode ser caluniosa, por isso precisamos buscar sinais para entendermos se estamos lidando com um crime de abuso ou com uma denúncia feita por outros interesses - disse a policial, Hanna Cagy, da 17ª DP, em São Cristóvão.

Crimes em família

Entre os principais casos registrados pela DCAV estão o estupro de vulnerável e maus-tratos.

- Apesar da Constituição dizer que a criança deve ser uma prioridade, há ainda, infelizmente, inúmeros casos de violência. Estes meninos e meninas são desrespeitados, mal tratados e isso acontece normalmente no seio da família -disse a titular da DCAV.
 

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário