Macaé News
Cotação
RSS

Estado troca experiências com Holanda para despoluição da Baía de Guanabara

Publicado em 12/03/2015 Editoria: Meio Ambiente sem comentários Comente! Imprimir


Na reunião, foram apresentadas soluções de curto e logo prazos

A Secretaria do Ambiente participou nesta terça-feira (10/3) do Workshop "Rio e Holanda: Troca de experiências para o saneamento da Baía de Guanabara", que foi realizado no Palácio Guanabara, em Laranjeiras. No evento – que contou com a presença da subsecretária Executiva e de Economia Verde da Secretaria do Ambiente, Isaura Frega, do cônsul-geral da Holanda no Rio, Arjen Uijterlinde, do vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, além de representantes de empresas holandesas que atuam na área de gestão de águas e da Subsecretaria de Relações Internacionais – foram apresentadas soluções de curto e logo prazos para despoluição e tratamento da água da Baía, além de técnicas de reutilização de lixo.

Durante a palestra, o governo holandês também formalizou a doação ao Estado, por dois anos, do sistema Deltares, instrumento que ajudará na previsão da movimentação de detritos flutuantes, otimizando, a operação dos EcoBarcos, que atuam na limpeza do espelho d&39;água da Baía de Guanabara.

– A partir desse convênio com a Holanda, será promovida uma cooperação técnica, onde eles vão aportar tecnologias e nós vamos debater e trocar informações. Esse intercâmbio é muito interessante para nós porque a Holanda tem uma experiência muito grande nessa área e vai nos ajudar a trazer ideias e tecnologias para que a gente possa minimizar a quantidade de lixo que chega à Baía de Guanabara. A questão dos resíduos sólidos é uma política municipal, e o estado precisa continuar atuando nessa política, incentivando a coleta formal, a educação ambiental e apoiando com recursos – disse a subsecretária.

O cônsul-geral da Holanda no Rio, Arjen Uijterlinde, destacou que o lixo despejado na Baía Guanabara pode gerar oportunidades econômicas no estado.

– A parceria da Holanda com o Rio tem muito potencial, principalmente no que se refere à questão do lixo, que não é só um problema, mas é parte da solução. O lixo despejado na Baía pode ser uma oportunidade econômica, gerando renda. A intenção é compartilhar nossa experiência no campo de gestão de água e de lixo, apontando ideias e soluções que foram testadas e aprovadas em uma área de delta na Holanda, com características muito similares à Baía de Guanabara – afirmou o cônsul.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário