Macaé News
Cotação
RSS

Casimiro de Abreu cria Banco de Áreas para recuperação florestal

Publicado em 05/03/2015 Editoria: Meio Ambiente sem comentários Comente! Imprimir


Proprietários querem recuperar área de mata ciliar do rio Macaé

Proprietários querem recuperar área de mata ciliar do rio Macaé

Técnicos da Secretaria de Meio Ambiente já estão realizando o levantamento na Região Serrana do município

Berço de várias nascentes que compõem duas importantes bacias hidrográficas: do Rio Macaé e do Rio São João. Assim é a Região Serrana de Casimiro de Abreu, que abriga mananciais importantes para o abastecimento de água dos municípios da Região dos Lagos e Norte Fluminense, além das plataformas e embarcações que atuam na Bacia de Campos.

Para cuidar deste ‘berçário de águas’, a Prefeitura de Casimiro de Abreu, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, está realizando um levantamento de áreas passíveis de recuperação, com prioridade para as áreas de proteção permanente (APP), que são as margens de rios e locais de nascente. “O país vive uma crise hídrica muito forte, e sem floresta não há água. Temos a preocupação com nossa região, que é riquíssima em recursos naturais, mas que precisa de cuidados. Para isso, estamos avaliando a vulnerabilidade hídrica da Região Serrana para a criação deste Banco de Áreas”, ressaltou o biólogo e subsecretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Samuel Barreto.

O primeiro passo dos técnicos está sendo a identificação dessas áreas, a maioria em propriedades particulares, além da mobilização junto aos proprietários, que já começam a sentir os efeitos da crise hídrica. “Locais que tinham nascentes, hoje estão secando. A consequência é a redução da disponibilidade de água potável. O Banco de Áreas servirá de base para a gestão e o desenvolvimento de projetos de reflorestamento dessas áreas degradadas. Priorizamos a Serra pela abundância de nascentes e também por concentrar uma grande quantidade de agricultores familiares”, explicou Samuel.

Moradores de Barra de São João, Luceir Viana e Paulo Pereira têm um sítio na Região Serrana. O rio Macaé passa em seu quintal. De um lado, uma vegetação bem preservada de Mata Atlântica. Do outro, a mata ciliar que deveria cobrir a margem do rio encontra-se degradada. “Assistimos todos os dias notícias de falta de água e das pessoas destruindo nossas florestas. Não podemos fazer isso, somos cercados por essa riqueza e precisamos preservar este bem para que nossa água não acabe. Por isso, buscamos a ajuda da Prefeitura para recuperar esse trecho de vegetação ciliar”, explicou Luceir.

Durante visita na propriedade do casal, a equipe da Secretaria de Meio Ambiente realizou a marcação com GPS da área a ser recuperada na beira do rio Macaé, bem como outro trecho que abriga nascentes e olhos d´água. “A parceria com o proprietário rural é muito importante. Após o levantamento, daremos início ao plantio de mudas nativas nos pontos apontados como prioritários para a conservação da água”, ressaltou Samuel.

› FONTE: ASCOM


sem comentários

Deixe o seu comentário