Macaé News
Cotação
RSS

Com ataques, Garotinho foge de debate na Câmara Municipal de Campos

Publicado em 24/02/2015 Editoria: Norte Fluminense sem comentários Comente! Imprimir


Secretário de Governo participou da primeira sessão na Casa de Lei em Campos e foi questionado pela oposição.

A primeira sessão do ano, na Câmara Municipal de Campos, nesta terça-feira (24 de fevereiro), foi marcada por ataques provocados pelo secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR). Na ocasião, ele leu uma mensagem enviada por sua esposa, a prefeita Rosinha Garotinho, que divulgava o balanço de todos os projetos executados em 2014. Questionado pela oposição sobre a aplicação do orçamento, o secretário alegou que Campos “não fica de fora de uma crise mundial”, desde o mês de outubro.

 

O vereador Marcão (PT) foi o primeiro a passar pela tribuna e citou os problemas do município, como a demissão de terceirizados, obras paralisadas, enquanto que no ano passado, a cidade arrecadou o maior orçamento de sua história –R$ 2,435 bilhões com superávit de R$ 320 milhões, incluindo o repasse dos royalties de petróleo. “O IPTU aumentou, assim como a taxa de iluminação pública, de água e esgoto, de toda a população de Campos, com a aprovação da prefeita. Houve ou não erro de planejamento?”, questionou o vereador.

 

Garotinho disse que, projeções da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), já diziam que o petróleo entraria em um ritmo de queda e, por isso, o município agiu com cautela e de forma preventiva. “Os reflexos serão sentidos pela população em 2015, já que vamos arrecadar R$ 1,5 milhão, ou seja, R$ 1 bilhão a menos do que o ano anterior. Vossa  Excelência do PT é a pessoa menos indicada para falar em orçamento”, questionou com ataques à presidente Dilma e ao partido do próprio vereador Marcão.

 

Cidade da Criança – Já o vereador Fred Machado (PSD) questionou o investimento de R$ 6 milhões aplicados para a construção da Cidade da Criança, no Parque Alzira Vargas, e que atualmente está orçada em R$ 16 milhões.

O secretário explicou que por se tratar de um prédio tombado, houve uma alteração do projeto em função das exigências feitas pelo Instituto de Patrimônios Históricos (Iphan).

 

Semáforos – Fred Machado também expôs a má estrutura dos semáforos que vem colocando em risco a vida da população campista. “O estado repassou R$ 30 milhões à Prefeitura de Campos para estarem funcionando em perfeito estado”.

 

Ao negar o repasse, Garotinho atacou o vereador e a irmã, ex-prefeita do município de São João da Barra, Carla Machado. “O vereador não conhece a cidade de Campos. O único repasse que a prefeitura recebeu foi do IPVA, que é obrigatório. Esse valor não existe. O vereador está baseado em noticiário de um jornal que não tem compromisso com a verdade. Da mesma forma eu posso citar a sua irmã que foi presa durante a gestão dela”, novamente atacou Garotinho garantindo que o presidente do Instituto Municipal de Trânsito e Transportes (IMTT) está orientado a corrigir e instalar semáforos mais altos e com novo modelo.

 

Shows no Farol – O vereador Rafael Diniz (PPS) enfatizou que no mês de outubro – mês das Eleições 2014 – não se ouvia falar em crise. “O secretário fala de uma crise até mundial, mas a crise é municipal, o desperdício do dinheiro público é municipal. Como Campos está em crise se foi investido R$ 1,3 milhão com artistas de fora e R$ 2,7 milhões com palco e fogos de artificio?”, questionou.

 

Entretanto, Garotinho justificou que os shows da praia campista foram patrocinados, sendo os investidores responsáveis por 70% dos custos. O secretário de Governo só não revelou o valor depositado na conta da Prefeitura de Campos. “Mentira é crime, pelo menos, falta de caráter”, finalizou com mais ataques, dessa vez, contra Diniz.

 

Virna Alencar.

Jornal Terceira Via

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: