Macaé News
Cotação
RSS

Lupicínio Rodrigues pode virar patrono da música brasileira

Publicado em 07/01/2015 Editoria: Cultura sem comentários Comente! Imprimir


Está pronto para votação na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) projeto de lei que declara o cantor e compositor Lupicínio Rodrigues "patrono da música popular brasileira". A homenagem ao artista gaúcho, cujo centenário foi comemorado em 2014, está prevista no Projeto de Lei do Senado 322/2014.

A proposta, que será votada em decisão terminativa na comissão, foi apresentada pela senadora Ana Amélia (PP-RS), em parceria com os colegas de bancada do Rio Grande do Sul, Pedro Simon (PMDB) e Paulo Paim (PT). Na justificativa da proposta, Ana Amélia explica que Lupicínio preenche todos os requisitos para se tornar patrono da música brasileira, de acordo com a Lei 12.458/2011, tendo “se distinguido por excepcional contribuição (...) ao segmento para o qual sua atuação servirá de paradigma”.

Nascido em Porto Alegre em 1914, Lupicínio passou a vida fora do eixo Rio–São Paulo. Mesmo assim, suas marchinhas de Carnaval e seus sambas-canções - que falavam, na maioria das vezes, de desilusão amorosa - conquistaram o gosto popular em todo o país.

Em quase 50 anos de carreira, compôs clássicos como Esses moços, pobres moços, Nervos de aço, Dona Divergência, Vingança, Nunca e Torre de Babel, músicas eternizadas na voz de intérpretes como Francisco Alves, Orlando Silva, Linda Batista, Dalva de Oliveira, Elza Soares, Elis Regina, Gal Costa e Jamelão – este, talvez, seu intérprete mais marcante e reconhecido.

Para o Rio Grande do Sul, deixou um legado especial: em 1953 compôs o hino do Grêmio, time do qual era torcedor. Seu retrato está na Galeria dos Gremistas Imortais, no salão nobre do clube.

O PLS 322/2014 recebeu parecer favorável do relator da matéria na comissão. Após a aprovação, se não houver recurso para votação em Plenário, a proposta seguirá para análise da Câmara dos Deputados.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário