Macaé News
Cotação
RSS
Panorama - Por Regina Oliveira

Panorama Por Regina Oliveira

Panorama - Por Regina Oliveira

Perfume de Mito

Publicado em 13/11/2014 sem comentários Comente!

 

 

Fazia muito tempo que Aimée não ia visitar Davi, pois só podia ir ao encontro de seu amado quando era permitido pelos seus guias espirituais. Seu trabalho e o de Davi não podiam sofrer interferências e por estarem em planos diferentes só era possível se encontrar periodicamente.

              O encontro foi intenso e Aimée não conseguiu segurar as lágrimas de felicidade por  superar as saudades nos braços amorosos de Davi.

            -Como consegui reencarnar sem a sua presença? Ás vezes a vida se torna difícil não tanto pelos problemas do cotidiano, mas pela falta de companhia afim ao nosso lado. Não que sinta solidão longe de ti, pois sei que está sempre presente em pensamento. Somos, sem dúvida, almas gêmeas e ninguém irá nos separar depois que eu desencarnar. Se tiver que voltar à terra, só irei ao seu lado.

              Davi esperou que ela se acalmasse para poder conversar com ponderação.

            -Amadinha,vamos sentar na varanda e tome seu café com bolo enquanto tento esclarecer melhor sobre almas gêmeas.

              Foram para fora da casa apreciar o por do sol que se fazia intenso em suas cores calorosas. As andorinhas voavam em bando em torno das árvores mais altas e o mirto exalava seu intenso perfume branco.

              Davi, como sempre calmo e com sua voz cativante passou a explicar.

              Há determinadas teorias afirmando que no início da Criação os seres foram criados em pares idênticos, mas que estariam separados na evolução e que se procurariam para se completarem. Outras dizem que almas gêmeas são criaturas que foram companheiras em várias encarnações e se tornaram afins nos gostos e sentimentos e quando separadas, anseiam pelo reencontro. Esta última é a mais lógica e aceitável, pois a evolução é individual e perene sem ser necessário a presença de um outro ser para complementar. Ninguém nasceu pela metade.

             Normalmente a busca da alma gêmea reflete mais uma procura seu próprio reflexo no outro.

             Não há igualdade absoluta nos gostos, desejos e ideais entre um casal que denominamos almas gêmeas, mas um profundo afeto que os unem,que não se apaga e nem esmaece perante o tempo. Tornando-se cada vez mais profundo e puro.

              Erradamente procuramos a nossa "metade" naquela pessoa que em tudo se assemelha ao nosso Eu. O mesmo gosto por tudo que nos interessa e até nas coisas mais banais da vida; buscando uma completa igualdade, o que é impossível, pois não há duas criaturas iguais em todo universo. Por mais que sintamos algo profundo por uma pessoa e queiramos gostar de tudo que ela gosta, nunca deixaremos de ter nossas preferências e convicções. As experiências de vida são sempre diferente mesmo entre irmãos gêmeos univitelinos.

                 Amar nunca foi deixar de ser, mas compartilhar o ser.

                 Amar não é anular-se e nem pedir que o outro se anule por nós. Podemos ter o mesmo gosto pela música, mas não necessariamente pela mesma música. Gosto de um estilo musical e você aprecia outro e nem por isso a amo menos,sorriu Davi dando-lhe uma piscadela. Se formos procurar alguém que nos complete em tudo, procuraremos em vão porque não há em todo espaço sideral uma cópia nossa nem "metade".

 

                 Você não precisa da minha "metade" porque é inteira.

                  AMAR É SINTONIZAR E NÃO SE OLHAR NO ESPELHO.

                  Aimée sorriu feliz pelas palavras ouvidas que aceitou por serem lógicas e sábias.

                - Falando em busca de felicidade que é o que toda humanidade procura na terra e fora dela. Não há quem não passa a vida esperando um companheiro(a) quase perfeito para conviver. Mas percebo que muitos casais quando iniciam uma relação são intensamente apaixonados, mas passa a euforia já pensam em procurar outra pessoa. Não percebem que todo início é intenso, mas nem sempre os afetos são verdadeiro. Dizem que num casamento ou relação a rotina mata o afeto entre o casal, mas o que acaba não é o amor, mas a ilusão de que amam. O sentimento verdadeiro é eterno, é tranquilo sem ser aquela paixão desenfreada de todo início.

                 - O que as pessoas buscam não é o amor propriamente dito, querem a emoção do começo do relacionamento, por isso há tantas separações de casais. Passou o encanto do início, aquele frio que corre a espinha quando revê a figura amada se foi, então passam a buscar outros casos para novas e intensas emoções.

                  Davi continuou:

                - No século 18 e 19 era comum os amores românticos, puro, cheio de poesias e flores; a busca do príncipe e da princesa encantada povoava a imaginação dos homens. Já no século 20 o romantismo passou para outro extremo, o erótico. Paixões violentas e sem compromissos entre os casais que mal se conhecem era e é ainda considerado normal. O afeto se traduz pela intensidade do sexo na cama. Quanto mais acrobático é o desempenho, melhor é avaliado o parceiro. Se amor e felicidade fosse sexo, as profissionais do sexo seriam as criaturas mais felizes do universo.

                 -Concordo, querido Davi. Outro dia assisti um documentário na televisão sobre os macacos e as cenas de sexo entre os símios lembram muito o que os homens e mulheres fazem nos momentos de intimidades atualmente; o que me fez pensar que a humanidade nesta área não evoluiu muito. Ainda está próxima dos animais e não dos seres evoluídos. O pior é que consideram tudo normal.

                 -O que nos entristece é saber o pouco valor que hoje a mulher dá a si mesma. Antigamente se resguardavam demais, hoje é o oposto. E os jovens ainda não possuem noção do que é o amor. Respondeu Davi.

                - Então, como saber qual é o amor verdadeiro?

                - Para nos unirmos com alguém que nos faça plenamente feliz temos que aprender a esquecer o eu, deixar de lado o eu preciso, eu quero; lembrando que amar é se doar inteiramente.Amamos verdadeiramente quando não usamos cálculos, moldes, medidas, pesos e auto-referências, nem precisamos do corpo, apenas AMAMOS.

                  É a alma que ama e não o corpo. Sexo é apenas uma das manifestações do amor, mas não é o amor.

                  Aimée sorriu com os lábios e os olhos, completando as palavras de Davi:

                 -Sabe o que me fez querer encontra-lo hoje? Foram os pensamentos que povoaram minhas idéias ontem à tarde ao acabar de ver um filme romântico na televisão. Pensava em quando pudermos nos unir no mesmo plano depois do meu desencarne, ia ter uma vida muito feliz e plena sem precisar de mais nada. Apenas sua presença preencheria meu vazio interior. Mas, depois novas idéias surgiram, pensei que não, estava errada. Mesmo estando ao seu lado sempre, algo ia me faltar.

                    Este algo é a percepção constante da presença de Deus que é minha verdadeira alma gêmea.

                    É Dele que preciso para me preencher.

                    Creio que Deus deveria ser a busca verdadeira do homem e não de sua outra "metade" que, sem dúvida, nunca encontrará. Miryã Kali

 

 

Panorama

Por Regina Oliveira

sem comentários

Deixe o seu comentário