Macaé News
Cotação
RSS
Panorama - Por Regina Oliveira

Panorama Por Regina Oliveira

Panorama - Por Regina Oliveira

As plantas mais perigosas e facilmente encontradas em quintais

Publicado em 21/04/2014 sem comentários Comente!

Você sabia que há várias plantas que podem estar em sua casa e são muito venenosas?

O número de plantas tóxicas existentes é muito grande e várias delas chegam a ser mortais. O mais complicado disso tudo é que muitas dessas plantas são usadas como ornamentos em jardins domésticos, trazendo riscos para animais e crianças. Conheça algumas delas e entenda o que podem causar.
Comigo-ninguém-pode
Nome científico: Dieffenbachia picta Schott
Essa planta, que está na maioria das casas e parece inofensiva, é muito tóxica! Ela tem cristais de oxalato de cálcio em seu caule e nas folhas. Se mastigada, fere a mucosa da boca e da garganta, provocando inchaço e causando asfixia. Quem tem crianças e bichinhos de estimação em casa precisa ter muito cuidado.
Jequiriti, Olho de cabra, Olho de pombo, Fruta de conta, Tento pequeno, Ervilha do rosário, Tento dos mudos, Alcaçuz da América ou Cipó de alcaçuz.
Nome científico: Abrus precatorius L.
Possui uma substância de nome abrina, que é mortal. Ela provoca a formação de coágulo e a morte se dá pelo impedimento de circulação sanguínea que ele causa. Embora não seja muito frequente nos jardins, ela é famosa por ter sido usada como "planta proibida" do filme "A Lagoa Azul".
Pinhão-de-Purga ou Pinhão roxo.
Nome científico: Jatropha curcas L.
Possui ricina na seiva e as folhas contêm saponinas tóxicas. Quando ingerida pode causar náuseas, cólicas abdominais, vômitos, diarreia, dispneia, arritmia e parada cardíaca. Ao entrar em contato com ela é necessário ter cuidado, pois muitas pessoas têm irritações profundas na pele.
Mamona, carrapateira, rícino, palma-de-cristo
Nome científico: Ricinus communis L.
Muito fácil de ser encontrada, a Mamona, que também é conhecida em algumas regiões como carrapateira, rícino, palma-de-cristo, é muito tóxica. Possui ricina, a mesma substância encontrada no Pinhão Roxo. Não existem antídotos para a intoxicação com ricina e o tratamento médico é sintomático.
Mandioca-Brava, Maniva
Nome científico: Manihot utilissima Pohl
Sua raiz e suas folhas possuem glicosídeos cianogênicos. Os sintomas após a ingestão são cansaço, falta de ar, taquicardia, fraqueza, confusão mental, acidose metabólica, taquipneia, agitação, convulsão e coma. Caso não seja tratado rapidamente, o paciente pode vir a óbito. 
Alamanda ou dedal-de-dama
Nome científico: Allamanda cathartica L
Embora algumas pessoas utilizem essa planta como purgante, ela é perigosa e pode causar intoxicações graves. Diversos sintomas gastrintestinais podem ocorrer com a sua ingestão como náuseas, vômitos, cólicas abdominais e diarreia. Em casos de ingestão acidental deve-se procurar ajuda médica imediatamente.
Buchinha, Buchinha-do-norte, Buchinha-paulista, Cabacinha.
Nome científicoLuffa operculata Cogn
Natural da América do Sul e muito encontrada no Brasil, há relatos de que o seu uso como abortivo já causou morte. Deve-se ter cuidado com o fruto dessa planta. Especula-se que a sua toxicidade seja em virtude da existência de cucurbitacinas e isocucurbitacina B em seu fruto. Em aproximadamente 24 horas após a ingestão do chá feito com o fruto, a pessoa pode apresentar náuseas, dores de cabeça, vômitos e dores abdominais, seguidos de hemorragias, coma e a morte.

 

__._,_.___

Panorama

Por Regina Oliveira

sem comentários

Deixe o seu comentário