Macaé News
Cotação
RSS
Acosta e seu blog - Por Acosta

Acosta e seu blog Por Acosta

Acosta e seu blog - Por Acosta

Calouros do NUPEM/UFRJ visitam Parque Nacional de Jurubatiba

Publicado em 12/03/2019 sem comentários Comente!


Dezenas de novos estudantes do curso de ciências biológicas (bacharelado e licenciatura) do Instituto NUPEM/UFRJ, do primeiro semestre de 2019, visitaram nesta terça-feira (12), o Parque Nacional de Jurubatiba, para conhecer de perto o principal abrigo das diversas espécies de fauna e flora das restingas que em outros locais do país estão em risco de extinção.

No início da Semana de Integração e Acolhimento NUPEM/UFRJ, os alunos ingressantes no curso de ciências biológicas foram recebidos pelo corpo social da instituição e participaram de um lanche coletivo promovido por docentes e veteranos. Eles foram recepcionados com uma programação específica voltada para a apresentação da universidade e dos cursos de graduação e pós-graduação. Os técnicos, professores, coordenadores e membros da direção do Instituto deram as boas-vindas e se apresentaram aos novos alunos, discorrendo sobre as atividades desenvolvidas e detalhando os aspectos importantes para a vida acadêmica e profissional dos calouros.

O diretor do Instituto, Rodrigo Fonseca, agradeceu a presença de todos e parabenizou os estudantes pela sua entrada em uma instituição que conta com um corpo docente e técnico altamente qualificado, desejando sucesso nesta nova etapa da trajetória acadêmica e reforçando a necessidade de participação dos alunos nas atividades que fazem parte da semana de acolhimento. Além do diretor, a doutora Tatiana Konno, coordenadora do bacharelado em ciências biológicas, e a professora doutora Laura Weber, coordenadora da licenciatura, igualmente deram as boas-vindas, destacando aspectos que consideram importantes para a adaptação dos estudantes à vida universitária.

Outros temas foram abordados no evento, tais como: Os sistemas acadêmicos e as exigências dos cursos de graduação, suas diferenças e conexões e esclarecimentos quanto à área de formação e de atuação do profissional de biologia. Os docentes Jackson Menezes, Fábio Di Dario e Rafael Costa, por sua vez, falaram sobre questões relacionadas à continuação da vida acadêmica na instituição após a conclusão dos cursos de graduação e sobre as políticas de assistência estudantil. Os cursos de mestrado e doutorado do também foram apresentados.

O ponto alto da Semana de Integração e Acolhimento do NUPEM/UFRJ se concretizou com a palestra do professor doutor Francisco Esteves, vice-diretor da instituição, que apresentou a palestra “NUPEM: Uma Fábrica de Sonhos”. Esteves fez um resgate de todo o histórico de constituição da unidade, relembrando as pesquisas científicas que serviram como ponto de partida para o que hoje é o NUPEM. Ele abordou ainda, aspectos geográficos, demográficos, sociais, políticos e econômicos da cidade de Macaé, dando ênfase à constituição e criação do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, no ano de 1998.

A caloura Kathleen Sena (19 anos), que escolheu o Nupem/UFRJ para se graduar ainda no Sisu/Enem, por se tratar de uma referencia em Ciências Biológicas na Região, assegurou que a visita ao Parque foi fantástica. “Foi incrível porque a gente pensa que a restinga não tem variedade de espécies, no entanto, o que nós vimos lá e orientados pelo professor Esteves, foi fantástico. Nós vimos o funcionamento de cada planta e o porquê de suas evoluções. Neste primeiro contato com o Parque, vejo a atuação do Nupem como um privilégio para a comunidade e oportunidade de preservação da restinga”. Já a estudante do terceiro período de Ciências Biológicas, Luana Celina (19 anos), oriunda da UNICID/SP, gostou da receptividade e acolhida do corpo docente da instituição. “Todos esclareceram pontos importantes sobre a história e vida acadêmica da instituição que escolhi para dar continuidade à minha graduação”, disse.

Sobre o Parque - O Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba engloba os municípios de Macaé, Carapebus e Quissamã. Possui 44 km de praias, sendo que neste trecho existem 18 lagoas costeiras de rara beleza e de grande interesse ecológico. É um abrigo para diversas espécies de fauna e flora que em outros locais do país estão em risco de extinção. Já foram inclusive encontradas novas espécies na área da Unidade.

Este trecho do litoral é uma importante área de refúgio para muitas espécies, entre elas o Papagaio Chauá (Amazona rhodocorytha) e a Sabiá da Praia (Mimus gilvus). Da qualidade ecológica das lagoas costeiras dependem várias espécies de aves residentes ou migratórias, tais como: garças, maguaris, carões, socós, gaviões, etc. Além das aves são encontradas, na restinga, animas como a lontra, o jacaré-de-papo-amarelo e o cágado-do-brejo.

______________________________

Jornalista Lourdes Acosta

Com assessoria do NUPEM/UFRJ. 

Macaé, 12/03/2019.

 

Acosta e seu blog

Por Acosta

sem comentários

Deixe o seu comentário