Macaé News
Cotação
RSS
Dimensão Arquitetura - Por Luis Paulo Guimarães

Dimensão Arquitetura Por Luis Paulo Guimarães

Dimensão Arquitetura - Por Luis Paulo Guimarães

Espaços Gourmets

Publicado em 01/04/2018 sem comentários Comente!

Imagem: DecorFacil. Belo exemplo de varanda gourmet.

Imagem: DecorFacil. Belo exemplo de varanda gourmet.

Olá meus amigos e amigas! Que nessa Páscoa a alegria da ressureição possa trazer a todos a todos dias em que se brote a amizade, o amor, a paz e a esperança.

O assunto de hoje é – cozinha – mais especificamente, cozinha gourmet ou varanda gourmet. Um ambiente cada vez mais lançado nos projetos pelos arquitetos, um desejo entre muitos clientes. O que é uma cozinha ou varanda gourmet? Quem pode ou deve ter um espaço assim? Onde deve ficar este espaço? Eu vou responder essas perguntas e outras e vou dar umas dicas. Vem comigo!

O QUE É UMA COZINHA OU VARANDA GOURMET?

Não é muito diferente de uma cozinha tradicional, tem geladeira, freezer, fogão, bancada com pia. Por quê então duas cozinhas em uma casa? A cozinha tradicional, por assim dizer, ela é mais compacta, utilizada nas tarefas do dia a dia. O espaço gourmet, é válido para aquela festas ou reuniões com amigos e família. É um espaço mais descontraído e também tem seu aconchego, seu charme. Na área gourmet você pode ter uma adega maior; ter um forno de pizza – não foge muito do conceito dos projetos que se tem uma edícula, ou seja, aquela construção pequena, anexa à casa com mesa, churrasqueira...contudo ela ganha um “up” com os assessórios já existentes na cozinha.

O espaço gourmet, conforme vocês viram, pode ganhar nomes distintos, porém o conceito é o mesmo. Geralmente varanda gourmet é o nome utilizado em apartamentos, visto que muitas vezes a varanda existente é adaptada para criar esse ambiente.

 

Imagem: Villela e Carvalho

QUEM PODE TER UM ESPAÇO GOURMET?

De modo gera, os arquitetos buscam entender dos clientes a sua rotina e de toda a família para ter a percepção se deve ser sugerido o uso no projeto ou não. Ninguém quer ter um espaço em casa que não é utilizado e só gera despesas de manutenção e que poderia ser utilizado de outra forma, né?

O espaço gourmet tem estado cada vez mais em voga, seguindo a reboque de programas de culinária que invadiram a nossa televisão. Há pouco mais de uma década, os programas de culinária ficavam restritos a algum horário dentro de outra programação; agora existem competições e as pessoas acompanham e tem e também torcem por alguém.

Acompanhar a programas de culinária não é apenas o único critério para adotar esse ambiente, mas já demonstra o gosto pela culinária...seja por que a pessoa já cozinha, ou seja por que tem vontade de aprender a cozinhar. Daí chegamos ao cerne dessa questão. A cozinha gourmet deve ser o palco de criações dos donos da casa, da sua família e amigos.

Muitas confrarias tem como apoio um espaço gourmet. Ali o pessoas se reúne, conta histórias, de tempos em tempos alguém assume a frente de um prato. E tudo aquilo que reúne, diverte, passa pela cozinha – festas de aniversário, festas temáticas – páscoa, natal, dia das mãe, dos pais, a Copa do Mundo que está chegando e por aí vai, pra quem gosta de festa, com um trocadilho aqui – é um prato cheio.

Quem de repente tenha uma família menor, ou gosta de ser mais introspectivo, talvez prefira uma área de estudos, um jardim de inverno – depende, mas uma cozinha gourmet provavelmente não.

                                                                               

Imagem: Blog CimCal

CRITÉRIOS TÉCNICOS

A área gourmet pode ser criada do zero, ou a partir de reforma. Quando criada do zero, certamente terá sido pensado no projeto algumas coisas que talvez você tenha que enfrentar na hora de reformar.

Como será o fogão? Será um cooktop? Vai ser elétrico, vai ter gás? Se tiver gás ele é de rede ou de botijão. Coisas que tem que ser levada em consideração. Nessa questão de infraestrutura serão vistas essas questões técnicas. Onde pode ser colocado o cilindro de gás, por onde percorrerá o cano que irá alimentar o fogão? As instalações elétricas, hidráulicas, escoamento d’água – são muitas questões que devem ser levadas em conta.

 

CRITÉRIOS DE USO E DE CONFORTO

Isso parte desde a localização da área gourmet. Geralmente um bom projeto irá levar em consideração vários fatores – desde a comunicação com os demais espaços da casa; ninguém quer ter o espaço gourmet junto com a área de guarda de lixo, não é? Tampouco quer que as roupas da área de serviço fiquem ali à mostra como se fossem quadros ou esculturas. Muitas vezes uma área gourmet vira a extensão de uma sala de estar/jantar – assim além de ter uma melhor circulação, da mesma forma se dá a percepção de amplitude.

Não é incomum também estar anexo à cozinha, já que a circulação entre esses espaços é comum.

Há ainda outras definições de conforto. Uma implantação que leve em consideração a exposição direta ao sol e ao calor, seja por causa dos alimentos, e claro, para que a permanência das pessoas seja agradável; afinal de contas, o espaço gourmet não é sauna.

A escolha dos materiais que irão compor o espaço também dão um toque especial. O aconchego da madeira, o requinte do silestone, o despojo do mosaico do azulejo, a leveza do vidro; são várias combinações, que serão definidos pelos gostos, preços, manutenção, tamanho do espaço, a interação com os outros ambientes.

Se a área gourmet é a sua praia, então, não deixe de contratar um arquiteto!

Espero vocês na próxima semana, combinado? Vamos celebrar o primeiro aniversário da nossa coluna.

 

Dimensão Arquitetura

Por Luis Paulo Guimarães

sem comentários

Deixe o seu comentário
Digite as palavras abaixo: