Macaé News
Cotação
RSS
Dimensão Arquitetura - Por Luis Paulo Guimarães

Dimensão Arquitetura Por Luis Paulo Guimarães

Dimensão Arquitetura - Por Luis Paulo Guimarães

Símbolo de conquistas na vida, as escadas são nosso assunto hoje.

Publicado em 19/08/2017 2 comentários Comente!

Modelo de escada em mármore - Doce obra

Modelo de escada em mármore - Doce obra

Tudo bem meus amigos? Como vão? Eu espero que não estejam tão chateados comigo, eu adoro escrever por aqui mas também tenho que dividir a atenção com algumas outras coisas, por isso o intervalo entre uma publicação e outra as vezes é mais do que uma semana. Tô perdoado? Outra coisa que preciso me justificar, recentemente fiz uma chamada para a próxima matéria (ou seja, esta), e o assunto seria prevenção contra incêndio e pânico, a entrevista foi feita, mas uma parte dos áudios ainda não está comigo, então, assim que estiver com todo o material em mãos faço a formatação do conteúdo e publico aqui. Combinado? Enquanto isso, vamos seguindo.

Qual é a imagem que nos remete o sucesso? Salvo raras exceções, a vida é uma escada e cada degrau, com suas dificuldades conduz ao topo, aquilo que chamamos de sucesso. Nosso assunto hoje são escadas.

Elas não são unanimidade, nem entre arquitetos e também quanto aos usuários. Pois bem, a linearidade da caminhada pode parecer interrompida pelas escadas, nem sempre é uma tarefa simples subir e descer escadas; o arquiteto e urbanista Jahn Gehl descreve no seu livro, cidade para todos um comparativo entre o uso de escadas e rampas que demonstra que as pessoas intuitivamente preferem utilizar rampas à escadas, o efeito pode parecer pior ainda quando você pode ver o início e o fim de uma escada, é como se você já soubesse o que vai ter que encarar.

As rampas de modo geral gradativamente conduzem de um nível para outro, entretanto, nem sempre é possível utilizar uma rampa, já que o espaço que esta precisa percorrer para chegar ao mesmo lugar que a escada é maior; não adianta simplesmente aumentar a inclinação, além de devermos seguir uma norma uma rampa com inclinação maior do que a estipulada irá trazer desconforto aos usuários, podendo na verdade ser uma armadilha para cadeirantes, gestantes ou pessoas idosas.

Em alguns casos não podemos ou não queremos utilizar rampas, então, lançamos mão de escadas. Primeiramente, ao contratar um arquiteto, ele irá entre outras coisas, desenvolver o projeto arquitetônico levando em consideração algumas características, como por exemplo, a escada é para um espaço comercial, ou residencial? É para reunião de público? Munido das informações cabíveis o projeto irá levar em consideração aspectos como a largura da escada, este item é crucial, podendo inclusive ser impeditivo diante da legalização no Corpo de Bombeiros, e, já que infelizmente muitas pessoas tem o hábito de construir sem pensar no projeto, os problemas aparecem depois. Não é incomum saber de algo que tenha que ter sido demolido e ser refeito para obter aprovação nos órgãos legais.

Tendo definido a inserção da escada através do projeto, outros aspectos também devem ser levados em consideração; e os mínimos detalhes podem estar especificados através de um projeto executivo, que demonstrará o tipo de revestimento do piso da escada, o guarda-corpo, etc.

Ao definir uma escada tudo será levado em consideração, a escada será em alvenaria? Será em aço, vidro, madeira? Embutida na parede, em balanço, estaiada? A escada pode ser discreta ou pode ganhar destaque, tudo isso vai depender do lugar que ela ocupa na construção, da intenção do projetista, bem como e primordialmente do gosto do cliente ou da função comercial.

Não menos importante está a execução da obra. É importante contar com profissionais capacitados que executem o que está no projeto para que não haja erros, mais do que desagradável pisar numa escada que tem um degrau alto, ou um piso onde você precisa posicionar o pé de lado, pode ser algo que pode provocar lesões e acidentes.

 

Fica a dica:

- Escadas para locais de reunião de público, ou seja, igrejas, teatros, boates, e outros, não podem ter degraus vazados.

- O código de obras das cidades definem condições especificas em cada local, porém, comumente escadas com mais de 16 degraus exigem patamar intermediário.

- Uma escada convidativa geralmente tem quatro ou cinco degraus e um patamar intermediário na sequência. Ao olhar termos a visão do patamar logo nos primeiros degraus para subir, costuma-se ter a sensação de que o desafio de subir não é dos mais árduos.

- Em alguns projetos o lance mais alto da escada é utilizado para ser lavabo, por exemplo.

- Escada helicoidal, ou popularmente conhecidas como escada caracol são o terror para os arquitetos. Brincadeiras à parte o uso é mesmo evitado em muitos projetos, algumas coisas que podem ser incomodo neste tipo de escada é que para transportar móveis para o local, dependendo do tamanho do móvel, poderá ser impraticável, ademais, casas onde usuários são pessoas idosas podem forçar mais lesões, vale a pena colocar na balança o uso ou não.

 

Espero que tenham gostado! Uma escalada de sucesso, em todos os aspectos para todos!

Quer conhecer mais um pouco do meu trabalho e dos meus parceiros? Vai lá no Facebook : https://www.facebook.com/dimensaoarquiteturaeconstrucao/

Dúvidas e sugestões? Envia-os um e-mail para: contato.dimensaoarquitetura@gmail.com ou entre em contato através dos números (22) 9 9907-8060 ou (22) 9 8137-8632.

Acompanhe-nos, breve teremos (boas) novidades.

Até a próxima edição!

 

Dimensão Arquitetura

Por Luis Paulo Guimarães

Agenda

+ eventos

Classificados

+ anúncios

2 comentários

Deixe o seu comentário
Digite as palavras abaixo: