Macaé News
Cotação
RSS
Dimensão Arquitetura - Por Luis Paulo Guimarães

Dimensão Arquitetura Por Luis Paulo Guimarães

Dimensão Arquitetura - Por Luis Paulo Guimarães

1º Seminário de Arquitetura - Perspectiva de Mercado em Macaé e Região

Publicado em 24/06/2017 2 comentários Comente!

Foto de encerramento do evento - Crédito: ARAU

Foto de encerramento do evento - Crédito: ARAU

Ocorreu na quinta-feira, dia 22/06 o 1º Seminário de Arquitetura – Perspectiva de Mercado em Macaé e Região. O evento, organizado pela ARAU (Associação Regional de Arquitetos e Urbanistas), que é de uma associação, sem fins lucrativos e reúne aos profissionais de arquitetura e urbanismo de Macaé e Região do Norte Fluminense, contou com o apoio do Vereador Luciano Diniz, que fez as honras da casa, intermediando o auditório da Câmara dos Vereadores para o encontro. O seminário também contou com a presença do presidente do CAU-RJ, Jerônimo de Moraes e dos palestrantes Rômulo Bozeo, do arquiteto/palestrante Jairo Schwartz e também do palestrante Eddie Paiva.

A tônica do encontro voltou-se para a dinâmica da retomada do mercado na nossa região, que, não diferente do restante do Brasil está assolada pela crise política e econômica; aliás, especialmente nossa região está assolada, porém, assim como é intrínseco a profissão da arquitetura e urbanismo sonhar e tornar o sonho realidade, a gana das arquitetas Débora Carvalho e Grasiela Mancini de unir os profissionais em torno dessa retomada possibilitou o encontro.

O encontro foi uma oportunidade para profissionais, estudantes e outras pessoas ligadas ao setor de criar um networking, conhecendo aos demais colegas.

Também serviu para sustentar que o preço daquilo que o profissional da arquitetura e urbanismo não está meramente o erário dos seus projetos, senão, que o valor dos seus projetos está fundamentalmente ligado àquilo que ele pode realizar e os transtornos que podem ocorrer em obras sem o auxílio de um arquiteto.

Com uma agenda positiva para a cidade de Macaé, a ARAU intermedia juntamente com Luciano Diniz algumas ações que se voltam não apenas para os arquitetos mas sobretudo para os cidadãos e empresários.

Na pauta encontra-se a autovistoria predial, que visa a garantia das condições das edificações mais antigas, através da vistoria de profissionais habilitados, evitando tragédias, tais quais ocorridas na Capital, onde a Lei de Autovistoria já é uma realidade e que antes desta tivemos por exemplo o episódio da queda de um edifício no Centro da cidade, ao lado de teatro municipal, que poderia ter causado tragédia maior (Se a queda se desse em horário de grande fluxo).

Outro item a ser chancelado é o Alvará Digital,  que assim tornará mais rápidos os trâmites de edificações com até determinada metragem quadrada de área construída. Isso é muito positivo para o município. O entrave burocrático desse procedimento já ocasionou a desistência de empresários que buscavam rapidez para se instalar na cidade a buscaram outros lugares por que a demora é prejuízo para os mesmos. Assim como é prejuízo para os empresários, tão grande é o impacto para a cidade onde mais pessoas poderiam estar empregadas, desde a etapa da construção e obviamente, diante da conclusão; além dos impostos que a Prefeitura deixa de arrecadar.

Ainda falando da agenda positiva, temos a Lei da Mais Valia, que é um instrumento do Estatuto da Cidades que muitas vezes é confundido como um passe livre para construções irregulares; na verdade, a deliberação de projetos se dá através de uma quantia paga, um tipo de multa, que possibilita a construções que tenham certas irregularidades e que não ferem condições consideradas misteres. Isso possibilitará que uma pessoa que more em um local onde hoje ele não tem acesso a escritura, financiamentos, possa regularizar a sua situação e também ter acesso e possibilidade inclusive de vender o seu imóvel.

Para finalizar a lista, está englobada a Assistência Técnica, que, a partir da Lei Federal 11.888/2008 prevê que famílias de baixa renda tenham assistência técnica pública e gratuita para o projeto e a construção de habitações de interesse social. Ao consorciar-se neste aspecto, o município permitirá aos cidadãos que têm baixa renda a possibilidade de morar em um ambiente melhor, que muitas vezes se consegue até os com próprios materiais usados em moradias precárias hoje, porém com a visão de profissionais que irão dar funcionalidade aos aspectos de uso, forma, espaço, iluminação, ventilação, etc.

Que o sopro dado neste evento possa acender a chama por um grupo de arquitetos unidos, que saibam da importância do seu papel na sociedade e também possa fazer aos cidadãos da importância de contratar a assistência de arquitetos e urbanistas e demais profissionais habilitados.

 

Para conhecer arquitetos e urbanistas habilitados, acesse – www.caubr.gov.br e clique em “ache um arquiteto e urbanista”, ali você poderá se certificar que pessoas legalmente habilitadas estão atendendo aos seus ensejos, evitando fraudes.

Conheça e divulgue e participe da ARAU, afinal, todos nós formamos a cidade. Visite a página no Facebook: www.facebook.com/araumacae.

 

Dimensão Arquitetura

Por Luis Paulo Guimarães

Agenda

+ eventos

Classificados

+ anúncios

2 comentários

Deixe o seu comentário
Digite as palavras abaixo: