Macaé News
Cotação
RSS
Acosta - Por Lourdes Acosta

Acosta Por Lourdes Acosta

Acosta - Por Lourdes Acosta

Legado de Mandela servirá de inspiração ao mundo

Publicado em 14/12/2013 sem comentários Comente!

líder da paz dá adeus ao mundo

líder da paz dá adeus ao mundo

O líder sul-africano morreu nesta quinta, 5, em sua residência, em Johannesburgo, aos 95 de idade. Ele passou recentemente por tratamento de uma infecção pulmonar. Desde então, seu estado de saúde continuava crítico. Ele estava recebendo cuidados médicos em casa. Os problemas estavam relacionados com as sequelas de uma tuberculose contraída durante o longo período em que passou na ilha-prisão de Robben Island, na costa de Cabo, onde passou 18 anos dos 27 de detenção nas prisões do regime racista do apartheid.

Premiado com o Nobel da Paz em 1993, por sua luta contra a violência racial na África do Sul, Mandela foi o responsável pelo fim do regime de segregação racial na África do Sul, o apartheid. Conquistou o respeito de adversários e críticos devido aos esforços em busca da paz. O líder ficou conhecido como Madiba (reconciliador) devido ao clã a que pertencia e recebeu o título de O Pai da Pátria. A Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o Dia Internacional Nelson Mandela em defesa da luta pela liberdade, justiça e democracia.

O líder da paz entra para a história por ter negociado com o governo do apartheid uma transição pacífica para uma democracia multirracial e por ter evitado uma guerra civil que, no início dos anos 1990, parecia praticamente inevitável. Candidato do Congresso Nacional Africano (ANC) Mandela foi o primeiro presidente de consenso da nova nação do "arco-íris", entre 1994 e 1999.

O presidente sul-africano, Jacob Zuma, que anunciou sua morte ao mundo, lamentou significativa perda. “Nosso querido Nelson Mandela, presidente fundador de nossa nação democrática, nos deixou. Faleceu em paz, cercado por sua família. Nossa nação perdeu seu filho mais ilustre", declarou. Já Frederik de Klerk, último presidente branco da África do Sul, que libertou Mandela antes de negociar a transição democrática e dividir com ele o Prêmio Nobel da Paz de 1993, também lamentou a grande perda. "Ele era uma inspiração para todo o mundo", afirmou.

Infância feliz - Nelson Rolihlahla Mandela nasceu em 18 de julho de 1918 no vilarejo de Mvezo, em Transkei (sudeste do país), no clã real dos Thembus, de etnia xhosa, mas rapidamente se mudou para a localidade vizinha de Qunu, onde passou, em suas próprias palavras, "os anos mais felizes", uma infância livre no campo, antes de iniciar os estudos. Casado três vezes e pai de seis filhos - dois falecidos -, Mandela fundou a Liga da Juventude do ANC e assumiu rapidamente o comando do partido, que considerava muito frágil ante um regime que institucionalizou o apartheid em 1948. Quando o ANC foi considerado ilegal, em 1960, Nelson Mandela passou à clandestinidade e foi detido em 1962. Dois anos depois foi condenado à prisão perpétua.

Afastado da vida pública desde 2010, Mandela se transformou em um herói mítico, intocável, respeitado tanto pelo governo quanto pela oposição. Seus compatriotas sempre se lembrarão de seu sorriso largo e de seu carisma. "Não duvido em nenhum momento que quando entrar na eternidade o farei com um sorriso", disse uma vez ao observar o crescimento do país em paz, após décadas de segregação racial.

O papa Francisco destacou o compromisso de Nelson Mandela, na promoção da dignidade humana. “Mandela soube construir uma nova África do Sul sobre as bases firmes da não violência e da reconciliação e a verdade", ressaltou, expressando sua tristeza ao ser informado da morte do ex-presidente sul-africano. O pontífice também mostrou sua esperança de que o exemplo de Mandela "inspire as gerações de sul-africanos a pôr a justiça e o bem comum acima de suas aspirações políticas".

Por Lourdes Acosta /Jornalista profissional

Acosta

Por Lourdes Acosta

Classificados

+ anúncios

sem comentários

Deixe o seu comentário